Tudo é indagação

Noite. Hora de silêncios. Menos aqui dentro, onde tudo é indagação. Queria saber o que pensam aquelas pessoas vestidas de verde e amarelo, gritando pelo retorno de um regime que não permitira protestos, para começo de conversa. Queria poder entender o que se passa na mente de quem não sente vergonha de vociferar contra a…

Ler mais

Das coisas que vivem

Aroldo é o nome da suculenta que me faz companhia na mesa do escritório. Desconheço o nome científico e botânico dessa planta, que carinhosamente chamo de planto, mas posso dizer que ele é um pedaço de vida verde, lutando para sobreviver em um ambiente hostil. Assim como eu. Quer dizer, eu não sou verde, mas sou…

Ler mais

Meu universo paralelo

** Hoje, um poema nasceu, em um post no Facebook, regado a lágrimas e inseguranças. Talvez eu esteja um pouco emotiva demais após o retorno das férias, ou por saber de coisas duras e feias. Há em mim o desejo de mudança, dores de sonhos não realizados, vidas ainda por vir. Quero escrever mais poemas,…

Ler mais

Literatura para salvar o mundo

A literatura não promete felicidade alguma — pelo menos não do tipo clássico, ou seja, o tipo imaginário — e não nos oferece garantias de finais felizes, nada disso. Ela nos amplia a vista de casa, nos mostra o outro — igual e diferente de nós — e exige que nos comparemos a ele, que…

Ler mais

Sobre viver

O primeiro texto de 2019 será assim um tanto tresloucado, outro tanto descabido. Sem propósito, forma ou tema definido, como a própria vida, essa épica batalha, touceira de espinhos, porém deveras doce e dotada de aroma tão suave que faz valer a pena todos os cortes que ganhamos nas mãos ao tentar tocar seus ramos.…

Ler mais