Amoras silvestres

Do lado do restaurante onde almoço diariamente, há um grande arbusto de amoras. Poucos meses atrás, no pleno frio de julho, seu aspecto era estéril, havia ali nada além de galhos secos, madeira semi-morta, uma aura de enterro, lamentos pela possível inexistência da primavera no solo seco de sua morada. Como toda planta feita de…

Ler mais

Antes da primavera

Manhã de setembro. A escritora se acomoda em sua cadeira não-tão favorita, ajusta a tela do computador e começa a contar uma história qualquer, sem era uma vez. Um ruído a traz para a realidade – alguém deve ter tropeçado e caído no andar de cima. Ela estica o pescoço e olha para a sala. O…

Ler mais