Das coisas que vivem

Aroldo é o nome da suculenta que me faz companhia na mesa do escritório. Desconheço o nome científico e botânico dessa planta, que carinhosamente chamo de planto, mas posso dizer que ele é um pedaço de vida verde, lutando para sobreviver em um ambiente hostil. Assim como eu. Quer dizer, eu não sou verde, mas sou…

Ler mais

O que o medo nos rouba

O medo é um grande ladrão de sonhos e planos. Nos puxa pelas pernas, nos prende ao chão com seus grilhões escuros e pegajosos. Faz morada e se prolifera em nossos corações e pensamentos, se alimenta de tudo o que é frágil e inocente. O medo nos rouba de nós, nos impede de viver em…

Ler mais

Mudança, essa coisa mágica

A palavra nunca tem um peso muito forte. Implica ausência de mudança, de reforma, inércia e rejeição a tudo o que é novo. Já o  nunca mais tem uma conotação diferente: se você diz que não irá fazer isto ou aquilo  nunca mais, significa que, provavelmente, já experimentou e achou ruim, ou simplesmente esta coisa não deu…

Ler mais

Por que é necessário amar o seu corpo agora

Há algum tempo, li um texto no blog The Militant Baker, no qual, após revisitar alguns retratos antigos, Jes Baker relata como foi chocante observar sua mudança de perspectiva a respeito de sua aparência. A blogueira em questão, que espalha uma mensagem positiva de amor próprio pela blogosfera, exibe nessa postagem diversas fotos suas de quando…

Ler mais