Nossos barcos não são os mesmos

Diz que estamos no mesmo barco, mas não usa máscaras, ou só as veste quando não é preciso. Acha que essa doença não mata, que sua vida ficará intacta depois disso, por causa da abundante prata que estufa seus cofres, que se espalha em malas encharcadas de sangue pobre. Julga-se nobre por oferecer migalhas, enquanto…

Ler mais

O quinto cavaleiro do apocalipse

Nas alturas do céu de algodão, uma trombeta soa e silencia todo o planeta, proferindo uma música sombria e desproporcional ao tamanho do instrumento. Quem a carrega é um anjo de cabelos negros, coberto por vestes de prata, cuja tarefa é anunciar a chegada do quinto cavaleiro do fim do mundo. Ao contrário do que…

Ler mais

Nas esquinas da capital da loucura

Um homem está sentado sobre um pedaço de papelão em frente a uma lanchonete na Avenida Paulista. O cobertor surrado pendurado em suas costas ostenta manchas de gordura, lama e fluídos desconhecidos. Os cabelos grisalhos envolvem sua cabeça num emaranhado de lã grossa e suja – sua auréola profanada de santidade decadente. Seu nome é…

Ler mais

Você não é todo mundo

A vida desta mulher se formou na dicotomia entre o afastamento da realidade e a ânsia de pertencer ao lugar-comum. A menina caminha de mãos dadas com a mãe no shopping center. Ela se detém em frente à vitrine da loja de brinquedos, seus olhos brilham em êxtase contemplando uma boneca coberta de glitter, com…

Ler mais

A utopia, ao contrário

Parece que a distopia é a grande febre do momento – e, por momento, eu me refiro ao nosso século. O gênero retrata realidades quase inconcebíveis de uma humanidade despedaçada que tenta se restabelecer e reconstruir, buscando talvez a própria definição de humanidade. Desde 1984, de George Orwell, até os mais recentes Divergente e Jogos Vorazes, a literatura…

Ler mais