Nossos barcos não são os mesmos

Diz que estamos no mesmo barco, mas não usa máscaras, ou só as veste quando não é preciso. Acha que essa doença não mata, que sua vida ficará intacta depois disso, por causa da abundante prata que estufa seus cofres, que se espalha em malas encharcadas de sangue pobre. Julga-se nobre por oferecer migalhas, enquanto…

Ler mais

Sinfonia caótica

Cinco ruídos distintos se fundem e batucam na minha cabeça. Durante todo o dia. Todos os dias da semana. Eles já fazem parte da paisagem sonora, como um quadro velho pendurado em uma parede velha, que mal é notado pelos moradores de uma casa. Ou uma árvore nunca podada. Ou o ruído estático de uma…

Ler mais

Estranha terra natal

As nuvens carregadas se derramavam sobre o para-brisa do carro com um presságio de que uma tarde morna e úmida nos aguardava ao fim da estrada. Quando chegamos no início da descida da serra, na Rodovia dos Imigrantes, senti um misto de empolgação e apreensão. Como se eu tivesse me esquecido como era pisar na…

Ler mais

Cinco Minutos

O dia está quase chegando ao fim e penso comigo nos cinco minutos que faltam para as cinco da tarde, os quais posso preencher da maneira que eu bem entender, e, de súbito, estou imersa num mar de possibilidades que certamente não se enquadram nesses trezentos segundos livres, por demandarem mais ou menos tempo. É incrível…

Ler mais

Ringo

Existem pessoas que são mais do que seres humanos, são personagens, entidades que conferem vida e cor às paisagens mais feias e cinzentas das nossas cidades. Elas se confundem às árvores, aos prédios, sobretudo às calçadas, onde geralmente passam a maior parte do tempo. Esses indivíduos acabam passando despercebidos por alguns de nós, talvez por…

Ler mais