Amoras silvestres

Do lado do restaurante onde almoço diariamente, há um grande arbusto de amoras. Poucos meses atrás, no pleno frio de julho, seu aspecto era estéril, havia ali nada além de galhos secos, madeira semi-morta, uma aura de enterro, lamentos pela possível inexistência da primavera no solo seco de sua morada. Como toda planta feita de…

Ler mais

Temos sorte

Estou vivendo uma inusitada sequência de dias. De alegria, plenitude, despreocupação. O coração palpita preguiçoso, o corpo dança na languidez do ócio, no ritmo daqueles que não têm obrigação de cumprir nenhum tipo de compromisso. Estou vivendo dias calmos. Um dia tranquilo, seguido de outro dia tranquilo, com mais sorrisos do que descontentamentos. Ao meu…

Ler mais