Alerta de Spoiler! Game of Thrones, tramas esquecidas e algumas revoltas

A noite de ontem foi mais fria que todos os invernos dos Sete Reinos para os fãs da série Game of Thrones, exibida pela HBO mundialmente. Algumas tramas sem solução, personagens mortos sem motivo aparente e sem perspectiva de serem trazidos à vida ou, ainda, sem nenhuma possibilidade de fazer o enredo principal se aproximar do conteúdo dos livros. Os acontecimentos dos últimos episódios foram muito marcantes – para não dizer chocantes – mesmo após tanto sangue já ter sido derramado nas quatro temporadas anteriores. E isso só me deixa ainda mais ansiosa para terminar a leitura o quanto antes! É bom mesmo que o próximo livro demore para ser lançado e o desafio será ler os que faltam até a estréia da temporada 6.

anigif_enhanced-buzz-23500-1408037974-15
“Da próxima vez que nos virmos vamos falar sobre sua mãe, eu prometo”. Ou seja, nunca.

Comecei a ler os livros há pouco tempo, instigada pelas incontáveis análises a respeito das diferenças entre a série e a obra original, e logo no primeiro volume já pude constatar as nuances divergentes entre a adaptação e a história original. Claro que o distanciamento ficou mais óbvio da segunda temporada em diante, porém ele é notável desde o princípio, aliás até mesmo na caracterização de alguns personagens. Compreendo que isso é uma coisa comum quando se trata de colocar nas telas um livro tão detalhado, longo e rico como esse, levando em conta também o apelo à audiência e tudo o mais, porém algumas coisas foram totalmente desnecessárias – como a primeira cena de “amor” entre a Khaleesi e o Khal Drogo, ou o casamento da Sansa com o Ramsey Bolton.

Entretanto, o meu conhecimento do livro se resume aos dois primeiros volumes, e isso me deixa com pouca bagagem para discorrer sobre as divergências mais gritantes, a respeito das quais já li em diversos artigos espalhados pela Internet. Não me importo com spoilers, então tudo bem! E prometo que vou escrever bastante sobre os livros conforme for progredindo (sorry, not sorry).

Desde o início desta série, cuja primeira temporada acompanhei em tempo real baixando os episódios assim que eram lançados, eu desenvolvi uma afeição especial por alguns personagens que, obviamente, morreram. Eu adoro a escrita do George R. R. Martin, a composição das personalidades, e como tudo se desenvolve, mas confesso que estou enfurecida com o rumo das coisas. Primeiro, foi o Ned, um cara honrado, que lutou tanto, se humilhou, e, no fim, morreu. Eu já deveria saber que ele não resistiria até o fim da série, a julgar pelo ator que o interpreta. A desgraça parece ser o carma dos Stark, isso está mais do que claro, no entanto as tramas de Bran, Arya e Sansa ainda podem ser muito promissoras no futuro, se eles sobreviverem. Eu ainda estou me perguntando como a história da Arya em Braavos vai ser interligada com o resto da trama principal, ou então como eles vão conseguir fazer a Sansa voltar a ser ela mesma depois de toda a distorção em seu destino, mas acho que ainda há esperança.

Eu nem vou comentar sobre a falta de menção dos poderes de wargs que os outros Stark possuem, porque esse é um dos aspectos mais bacanas e importantes do livro e que, deliberadamente, eles deixaram de fora da série. Quando comecei a assistir, tive a impressão de que somente o Bran e o Robb tinham essas habilidades, mas não é o que acontece na história original. Por que não incluíram isso?

Tramas abandonadas. Saudades...
Tramas abandonadas. Saudades…

Algumas perguntas ainda pairam no ar, tipo: Quem é a mãe do Jon snow? O Gendry ainda está remando por aí, há sei lá quantas temporadas? E o Rickon e a Osha, foram abduzidos? O Bran conseguiu, enfim, chegar até o corvo de três olhos, mas e então, o que ele descobriu? Que fim levou a Irmandade sem Bandeiras e a Catelyn Stark ressuscitada (que também ficou de fora da série)? E os Greyjoys, desistiram de participar do jogo do poder? São muitas as histórias secundárias esquecidas pelos produtores da série, algumas delas que pareciam ter bastante relevância para dar apoio à história principal.

Acontece que, mesmo sabendo das mortes que aparecem tanto no livro como na série, eu não estava preparada para encarar que elas aconteceriam, de fato. Eu ainda não tinha me recuperado daquela cena em que o Stannis seguiu o conselho da víbora da Melisandre (que ódio dessa mulher!) e ateou fogo em sua própria – e única – filha, a meiga Shireen. E agora, depois do episódio de ontem, o que ecoa na minha mente é: PRA QUÊ? Esse deus da luz parece ser um sádico, ou então ele tem outro propósito que foge à nossa compreensão, ou, ainda, o livro talvez explique melhor tudo isso. Sem o Stannis para tirar os Lannister e os Bolton do poder, o cenário é bem desolador para o Norte. Fico pensando o que irá acontecer quando os White Walkers conseguirem atravessar a Muralha… Já vimos do que eles são capazes, e o único homem que sabia como matá-los sem precisar de uma adaga de obsidiana morreu porque os idiotas da Patrulha ficaram magoadinhos. Se eles todos morrerem, será mais do que bem feito!

Quer dizer, os únicos líderes com um pouco de honra e bom coração estão desaparecendo a cada episódio. Agora, a Dany foi levada para longe de Meereen por seu dragão, e a vimos cercada por cavaleiros Dothraki e não há indícios de que chegará ao Trono de Ferro tão cedo. O Tommen, que poderia redimir os Lannisters e reinar de uma forma menos sanguinária, não passa de um covardezinho que se esconde atrás da saia da mãe. Um bando de fanáticos controla a cidade mais poderosa dos Sete Reinos, enquanto todos seguem suas vidas sem saber que o inverno já chegou e os White Walkers estão prestes a aniquilar tudo, basta eles conseguirem avançar.

E fica a mais inquietante pergunta de todas: quem é que vai conseguir desvendar o mistério do aço valiriano antes que seja tarde demais? Será que o Sam vai virar um grande Meistre e difundir esse conhecimento por todos os reinos, a fim de dar-lhes alguma chance de vencer o maior de todos os perigos?

Espero que essa próxima temporada seja menos revoltante e que eles levem menos ao pé da letra a frase “Todos os homens devem morrer”.

valarmorg

2 comments

  1. O que eu mais fico admirada nessa série, é como ela faz eu me sentir em cada episódio. É um caso de amor e ódio que eu tenho com GoT. Ao mesmo tempo que eu fiquei PUTA DA CARA vendo o John Snow morrer de uma forma TÃO ESTÚPIDA, fico pensando que essa é uma lembrança que na vida nós não somos nada, apenas homens, e que todos os homens devem morrer. MAS EU QUERO QUE OS WHITE WALKERS MATEM TODOS DA PATRULHA DA NOITE, CRUELMENTE!!!! Gente burra, mataram meu Snowzinho 😦 Enfim, estou lendo o segundo livro também e não tenho muito o que dizer, assim como você. Só sei que também quero terminar antes da sexta temporada pra ficar ~por dentro~

    Ô HISTÓRIA MAIS SEM VERGONHA E SEM PIEDADE VIU. Esse episódio simplesmente acabou com a minha semana… estou depressiva Ç.Ç
    Beijos

    bsalvan.wordpress.com

    Curtido por 1 pessoa

  2. Bah, eu fiquei o episódio todo de boca aberta e mais ainda no final com a morte do Jnow Snow 😦 Tem muita ponta solta no ar (como você disse, desde a temporada passada até) e, minha nossa, temos que esperar até 2016? É isso mesmo, produção! Vixe!
    Eu nunca tive vontade de ler os livros, pra mim bastava acompanhar a versão para a TV e só, mas confesso que dos últimos episódios dessa temporada pra cá, eu fiquei bem curiosa em saber mais dessa história. Quem sabe começo a ler o volume 1 até Abril hahah

    Adriana

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s